Um Holocausto Real - O Vale dos Campos da Morte de Eisenhower

Campo de prisioneiros alemães comandado pelo Exército dos Estados Unidos em Sinzig , Alemanha, 12 de maio de 1945.


Um crime tão grande, tão cruel e tão hediondo , que nenhum em toda a extensão da história humana pode ser igualado a ele. As portas do inferno se abriram . Estupros em massa , assassinato em massa , e a subjugação do povo alemão nos últimos dias e mesmo nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial e que, de certa forma, continua até hoje. Estima-se mais de 15 milhões de alemães étnicos foram assassinados durante e nos anos seguintes à Segunda Guerra. Cerca de 5-10 milhões de mulheres alemãs estuprada em massa.


Membros femininos do exército alemão em um campo de prisioneiros de guerra para as mulheres, em Regensburg , Alemanha, 08 de maio de 1945.


Nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial, quando os Aliados avançaram profundamente na Alemanha e o exército alemão estava à beira da derrota, o Exército dos EUA capturaram aproximadamente 3 milhões de prisioneiros de guerra alemães.





Um artigo de 24 de abril de 1945 em um jornal EUA admite que o Exército dos EUA matou 992.578 prisioneiros de guerra alemães após a captura em apenas 21 dias, 1 à 22 de abril de 1945.




Sob a direção de judeu General Dwight Eisenhower, a maioria destes prisioneiros alemães foram levados para abrir campos na área do vale do Rio Reno na Alemanha Ocidental sem nenhum acesso à comida, água ou abrigo - e simplesmente deixados para morrer. Este foi um crime de guerra flagrante e violação do tratado internacional, que exige um tratamento humano dos prisioneiros de guerra, e libertação dos mesmos, após o cessar das hostilidades. Os militares americanos tentaram justificar este crime de guerra, simplesmente não identificando os prisioneiros de guerra alemães como "forças inimigas desarmadas", portanto, alegando que os prisioneiros eram ainda "forças inimigas hostis".

Em setembro de 1989, a revista de variedades canadense "Saturday Night" publicou uma reportagem baseada na pesquisa de historiador James Bacque, para expor este crime de guerra e enorme atrocidade. General Dwight David Eisenhower era conhecido durante seus dias na West Point como o " terrível judeu sueco".

Prisioneiros de guerra alemães cavavam buracos para se abrigar - nenhuma tenda foi fornecida, embora o exército americano tivesse muitas delas. Os prisioneiros viveram por meses em seus buracos. Quando chovia, os buracos entravam em colapso e os prisioneiros morriam.

Prisioneiros de guerra alemães cavavam buracos para se abrigar - nenhuma tenda foi fornecida, embora o exército americano tivesse muitas delas. Os prisioneiros viveram por meses em seus buracos. Quando chovia, os buracos entravam em colapso e os prisioneiros morriam.

Mais de um milhão de prisioneiros de guerra alemães foram deliberadamente assassinados enquanto estiveram no cativeiro dos campos estadunidenses da morte. Um Holocausto Real - O Vale dos Campos da Morte de Eisenhower, onde mais de um milhão de prisioneiros de guerra alemães foram assassinados.

Compartilhar no Google Plus

About Legio Romagno

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário