Apophthégmata Lakoniká, de Plutarco - O espírito espartano em frases de espartanos



Agesilaus

(final do século IV a.C - depois de 241 a.C), político espartano e éforo, era tio e tutor do rei de Esparta Agis IV.

19. Ao cruzar com o seu exército o território de Tasi, os habitantes da região lhe enviaram farinha, e em seguida, gansos, doces, bolos de mel e todos os tipos de guloseimas e bebidas deliciosas. Agesilaus só aceitou a farinha e ordenou aqueles que trouxeram a comida que levassem o resto, porque não precisava daquilo. Uma vez que os cidadãos insistiram e queriam a todo o custo que ele aceitasse seus presentes, Agesilaus deu ordens para distribuir a comida entre os hilotas (espécie de servos), e quando lhe perguntaram por que, ele respondeu:
"Se alguém tem a virtude em seu coração, é melhor que renuncie a este pecado da gula. Homens livres não devem desejar o que aos escravos apraz".

24. Ele costumava dizer que um comandante tem de se destacar dos soldados comuns não pelo luxo ou conforto, mas pela força e coragem.

28. Quando alguém lhe perguntou até onde chegavam os limites do Esparta, Agesilaus respondeu, balançando a lança:
"Até onde isto alcançar!"

62. Quando perguntado qual era melhor virtude, a coragem ou a justiça, disse que a coragem era inútil na ausência da justiça. Por outro lado, se tudo estava em justa ordem, não haveria necessidade de coragem.

Ágis II, filho de Arquidamo
2. Quando perguntado qual era a matéria mais ensinada em Esparta, disse:
"A arte de dar ordens e recebê-las."

6. Passando sob a muralha de Corinto e vendo que ela era alta, robusta e muito extensa, disse Ágis:
"Quem são as mulheres que vivem aqui?"

18. Quando perguntado como se faz para permanecer livre, disse:
"Desprezando a morte."

Anaxândrides II, rei de Esparta de 560 a.C. até 520 a.C. ano da sua morte, pertenceu à Dinastia Ágida
3. Quando se lhe perguntou por que os espartanos destinaram o cultivo dos campos para os hilotas sem que os nobres deles se ocupassem pessoalmente, disse:
"Veja, temos conquistado muitas terras porque cultivamos só a nós mesmos, e não os campos."

Antálcidas, foi um navarco (almirante), político e diplomata espartano
2. A um ateniense que chamou de ignorante os espartanos disse: "Pelo menos somos os únicos a não ter aprendido qualquer uma das suas perversões."

Daminda, guerreiro espartano
Quando Filipe invade o Peloponeso, um homem diz: "Os espartanos estarão expostos a riscos terríveis, se não chegarem a um acordo com ele." Mas Daminda responde:
"Maricas! O que pode acontecer de terrível, uma vez que não tememos morrer?

Demaratos, rei euripôntida de Esparta (515 a.C.-491 a.C.), filho e sucessor de Ariston
4. Em uma reunião, foi perguntado porque estava em silêncio, se porque era estúpido ou porque lhe faltavam argumentos; ele respondeu:
"Se eu fosse estúpido, não seria capaz de ficar calado."

Licurgo, lendário legislador da pólis de Esparta
27. Quando algumas pessoas perguntaram: "Como poderemos repelir os ataques inimigos?", Licurgo deu esta resposta:
"Vocês terão sucesso, se permanecerem simples e se nenhum de vocês achar-se mais importante do que os outros."

Carillo, legislador
1. Perguntado por que o código de Licurgo era tão exíguo, Carillo disse:
"Porque quem fala pouco também precisa de poucas leis."
4. Quando lhe foi perguntado qual era, em sua opinião, a melhor constituição respondeu:
"A que permite ao maior número de cidadãos competir entre si em virtude, mas sem guerra civil."

Ditos de Espartanos anônimos
37. Quando perguntado o que sabia fazer, um espartano respondeu:
"Ser livre".

Os costumes antigos dos espartanos
19. Os espartanos não eram autorizados a viajar, porque não se queria que eles fossem contaminados por costumes estrangeiros e estilos de vida que os distanciassem de sua disciplina.
20. Licurgo decidiu proibir a entrada de estrangeiros para evitar que os visitantes fossem maus professores para os cidadãos.
30. Depois de embebedar os hilotas, mostrou-os às crianças, para que estas nunca desejassem beber demais.
40. Em Esparta, os meninos eram chicoteados um dia inteiro no altar de Artemis Orthia, e muitas vezes morriam; mas eles mantinham-se calmos e orgulhosos, porque para eles isto era uma verdadeira competição, destinada a estabelecer qual deles era capaz de suportar mais golpes e por mais tempo. O vencedor gozava de grande estima; esta cerimônia era chamada de "flagelação" e acontecia todos os anos.
24. Quando perguntada qual dote a uma menina pobre poderia dar a um marido, esta respondeu:
"A virtude que me foi ensinada em família".
27. Uma Espartana foi colocada à venda e lhe foi perguntado o que ela sabia fazer... respondeu:
"Ser fiel".
42. (...) Mas, então, as leis de Licurgo foram deixadas inteiramente de lado, e Esparta passou a ser governada tiranicamente pelos seus cidadãos, sem reter qualquer vestígio da antiga disciplina; No final, os espartanos tornaram-se como todos os outros, e tiveram de resignar-se a uma posição subordinada, renunciando à sua independência e glória do passado; Hoje, estão sujeitos ao governo romano, assim como outros gregos.


- Extraído de Apophthégmata Lakoniká, de Plutarco, uma compilação de sentenças propriamente lacônicas de célebres espartanos, que traduz, com sua simplicidade e ao mesmo tempo profundidade e autoridade, o modo de ser e de sentir desses maiores guerreiros da Grécia Antiga.







Compartilhar no Google Plus

About Legio Romagno

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário