LEVIATÃ - A DEMOCRACIA DE ESTADO OU O ESTADO DA DEMOCRACIA



No Estado moderno e pós-moderno a democracia só existe como uma "maquiagem"...

Que serve para iludir a sociedade com uma falsa liberdade e poder decisório que inexistem, enquanto reserva para si (governantes e plutocratas que, muitas vezes são os mesmos) as decisões, quanto ao destino dessa sociedade.

Nessa democracia pós-moderna - uma Democracia de Estado, meramente legal e não orgânica - o homem, como ser social, foi reduzido ao nível de indivíduo - de indivíduo consumidor apolítico - e a sociedade ao nível de massa: não mais homens, mas peças de uma engrenagem, números ou mesmo coisas, que o Estado administra. E que o Estado administra geralmente para o Mercado, para a plutocracia liberal.

No lugar da sociedade orgânica e natural, uma vez que esta foi atomizada, o Estado passa a ser, ele mesmo, esta sociedade, totalitariamente falando. Desta feita, toma o Estado o papel da comunidade orgânica, da livre associação de trabalhadores, do município, da Igreja e da família.

É notável o fato de que, no Estado inflado, falsamente democrático e falsamente representativo, meramente legal, o nível da conscientização política de seus cidadãos decresce, torna-se majoritariamente nulo.

Neste Leviatã político-administrativo, cujo patrão é o Mercado, a Plutocracia; são desfeitas todas e quaisquer associações orgânicas populares. São dissolvidos os costumes tradicionais, a cultura profunda e, principalmente e primeiramente, a religião paterna! Para que, assim, se possa adorar apenas à Mamon e a seu cão de guarda: O Estado!
Compartilhar no Google Plus

About Legio Romagno

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário